Homilia na Celebração Eucarística de abertura da Jornada Diocesana da Juventude

Basílica de Nossa Senhora da Penha – 13/05/2011


Caros jovens,

É com o coração de pastor que saúdo e acolho a cada um e cada uma em particular. É bom estarmos reunidos aqui para celebrar e testemunhar ao mundo de hoje o Amor do Cristo Jovem entre os jovens.

Vocês vieram das diversas paróquias, comunidades, grupos e movimentos de nossa diocese desejosos de melhor conhecer a Jesus Cristo, de vivenciar seu projeto de amor em comunidade e, assim, ser sal, fermento e luz no mundo e, em especial, entre os jovens.

Estamos aqui para, em comunhão com os jovens do mundo inteiro, prepararmos a 26ª Jornada Mundial da Juventude que acontecerá em Madrid, na Espanha, de 15 a 21 de agosto de 2011 e na qual estaremos representados por um bom número de jovens de nossa Diocese de São Miguel Paulista.

A Jornada Mundial da Juventude começou com o Ano Santo da Redenção (1983/1984), quando se comemorou os 1950 anos da morte de Jesus Cristo. Como parte da celebração do Ano Santo, na vigília do domingo de Ramos, foi celebrado o jubileu Internacional da Juventude. Nessa ocasião o Papa, hoje Beato João Paulo II, entregou aos jovens a “Cruz do Ano Santo”.

A ONU proclamou o ano de 1985 como o Ano Internacional da Juventude. Naquele ano a Igreja Católica organizou um encontro no Domingo de Ramos com a presença de 350 mil jovens na Praça de São Pedro. O Papa João Paulo II instituiu, então, as Jornadas Mundiais da Juventude que deviam ser intercaladas com as jornadas diocesanas.

Em  agosto de 1997, o Papa João Paulo II afirmava sobre as jornadas: “ninguém inventou essas jornadas (...) foram os próprios jovens que as criaram”. Elas tem como principal objetivo fazer da Pessoa de Jesus Cristo o centro da fé e da vida de cada jovem.

Desde então, a partir de Roma os jovens demonstram a razão de sua fé e de sua esperança conduzindo a Cruz de Cristo pelo mundo. Em 2011 a cidade de Madrid será o cenário desse memorável encontro de Fé e Esperança realizado no Amor a Deus, na pessoa de Jesus Cristo e dos irmãos. O logo da Jornada simboliza os jovens do mundo inteiro, que se unem para celebrar com o Papa a sua fé  aos pés da Cruz e que formam um M, que tanto pode ser a inicial  de Maria quanto de Madrid.

A experiência da jornada mundial da Juventude não pode se restringir ao encontro mundial que ocorre a cada três anos e muito menos aos que podem viajar e viver essa experiência em outros países. Ela foi sonhada e idealizada pelo Beato João Paulo II para reacender em cada jovem a chama do Amor e para demonstrar a força da juventude na transformação da sociedade. Daí a grande importância de realizarmos esta Jornada Diocesana.

As jornadas têm uma espiritualidade própria  marcada por quatro pontos: 1- Encontro pessoal com Jesus Cristo; 2- Amor á Igreja, expresso na pessoa do Papa e escuta de sua palavra; 3- Vivência da universalidade da comunhão da Igreja; 4- Os jovens protagonistas da nova evangelização e da construção da civilização do amor.

As Jornadas Diocesanas, também, devem vivenciar essa espiritualidade incentivando e promovendo o intercâmbio entre os jovens dos mais diversos movimentos e grupos de nossa Diocese. Ajudar a garantir a unidade do projeto de evangelização da juventude respeitando a diversidade de cada comunidade ou grupo.

Preparando a 26ª Jornada Mundial da Juventude o Papa Bento XVI enviou sua mensagem aos jovens, na qual propõe como tema as palavras do Apóstolo São Paulo aos colossenses “Enraizados e edificados n’Ele... firmes na fé” (Cl 2,7). Nessa ocasião, não vou refletir com vocês essa mensagem do Papa porque seu conteúdo será desenvolvido na oração, na reflexão e estudo na catequese de amanhã, a partir das 8h00, no auditório da Faculdade Santa Marcelina, em Itaquera . 

Invoco as bênçãos de Deus sobre todos  vocês, meus caros jovens. Que São Miguel Arcanjo os defenda de todos os perigos. Coloco os estudos, as reflexões e a convivência desses dias sob a proteção da Mãe de Deus e nossa Mãe, a Senhora da Penha.

Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo!

 Dom Manuel Parrado Carral