Começou nesta quarta-feira, dia 04/05, a 49ª Assembleia Geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), pela primeira vez realizada em Aparecida (SP).

2011_DM_aparecida_basilica1

Às 7h30, o núncio apostólico no Brasil, dom Lorenzo Baldisseri, presidiu a missa de abertura da assembleia no Santuário Nacional de Aparecida. Em seguida, às 9h20, o presidente da CNBB, dom Geraldo Lyrio Rocha, abriu solenemente o evento, que acontece no Centro de Convenções Padre Vitor Coelho de Almeida.

2011_DM_aparecida_basilica2

fotos_2011_DM_Aparecida_douglas_mansur

Em seu pronunciamento de abertura, dom Geraldo agradeceu à Companhia de Jesus por ter recebido a CNBB, em Itaici, desde a 14ª Assembleia Geral, em 1974, até a 47ª, em 2009. “No casarão da Vila Kostka, os Jesuítas sempre nos acolheram com espírito eclesial e nos serviram com dedicação e amor”. Além disso, dom Geraldo destacou como “acertada” a decisão de mudar para Aparecida. “Acertada foi a decisão de virmos nos reunir aos pés da Padroeira do Brasil. Acolhidos sob seu manto materno, experimentaremos o fervor dos romeiros que acorrem ao Santuário Nacional, e aqui poderemos vivenciar experiência semelhante à dos Apóstolos que, com Maria, mãe de Jesus, estavam reunidos no cenáculo de Jerusalém aguardando a vinda do Paráclito”.

2011_DM_aparecida_plenria1

Este ano a assembleia é eletiva, escolhendo para o próximo quadriênio o presidente, vice-presidente e secretário geral da CNBB, além deles, são eleitos também os presidentes das Comissões Episcopais Pastorais que, junto com a Presidência, constituem o Conselho Episcopal de Pastoral (Consep). Também será eleito o delegado da CNBB  junto ao Conselho Episcopal Latino-americano (CELAM). Para tratar desse assunto, foi convidado a falar com a imprensa o bispo de Guarabira (PB), dom Francisco de Assis Dantas de Lucena, coordenador da equipe para as eleições da CNBB.

2011_DM_aparecida_canonova

De acordo com dom Francisco, as eleições devem ocorrer na próxima semana, a partir do dia 9, pois, de acordo com o bispo, as votações começam tradicionalmente após o Retiro Espiritual dos Bispos, que inicia no sábado, 7, às 15h30  e termina com a missa, no domingo, dia 8, na Basílica de Nossa Senhora Aparecida.

“As eleições são o segundo tema central da Assembleia deste ano, o primeiro é as Diretrizes Gerais da Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil. Todos os bispos já receberam o caderno com o regulamento geral para as eleições, e os eleitos terão o cargo de duração de quatro anos e constituirão o Conselho Permanente da CNBB. Todos os bispos são livres para manifestar sua convicção e liberdade. Diferente de outras eleições teremos uma preparação espiritual para refletirmos melhor”, disse dom Francisco.

O bispo aproveitou e explicou aos jornalistas a forma de eleição dos bispos. “São usadas urnas eletrônicas nas nossas eleições, semelhantes à usada nas eleições civis. O presidente, vice e secretário geral da CNBB são eleitos em votações separadas. O eleito deve ter dois terços dos votos no primeiro ou segundo escrutínio. Se houver terceiro e quarto escrutínio, basta a maioria absoluta dos votos. Se assim não resolver, o quinto e último escrutínio acontecerá com os dois candidatos mais votados no quarto escrutínio. Já para os presidentes de Comissões Episcopais são eleitos em eventos separados, um a um, por maioria absoluta de votos, podendo ter até três escrutínios”, explicou dom Francisco de Assis Dantas de Lucena.

Somente um bispo diocesano, isto é, aquele que está à frente de uma diocese, pode ser eleito presidente ou vice-presidente da CNBB. Já para secretário geral pode ser um bispo auxiliar ou coadjutor.