Com a elevação nos índices de contaminação da Covid-19 no início deste ano, a participação ficou restrita a 15 pessoas por Paróquia.

CF.20221
Imagens: Andreia Alcântara

Na tarde do dia 6 de março, quando a Igreja celebrou o Primeiro Domingo da Quaresma, às 15h, em nossa igreja Catedral de São Miguel Arcanjo, aconteceu a tradicional celebração de abertura da Campanha da Fraternidade, deste ano de 2022, presidida pelo nosso bispo diocesano, Dom Manuel Parrado Carral. A celebração contou com boa participação dos padres, dos religiosos e religiosas, dos seminaristas e também do povo de nossas comunidades, cuja participação foi restrita a 15 irmãos e irmãs por paróquia.

Como acontece todos os anos, a celebração seguiu uma espécie de "jogral", cujo roteiro foi preparado pela equipe diocesana e pela Catedral, alternando-se entre o bispo, os padres e religiosos, o animador e o povo, e constou de diversos momentos, nos quais estava também inclusa a meditação da Palavra de Deus e um breve momento penitencial. Aliás, a Palavra de Deus, simbolicamente, foi entronizada pela Infância e Adolescência Missionária de nossa igreja particular, acompanhada de estudantes e profissionais da educação que, ao término da celebração, também foram homenageadas.

CF.20222

Em 2022, a CF tem como tema “Fraternidade e Educação” e o lema “Fala com sabedoria, ensina com amor” (Pr 31,26). É a terceira vez que a Igreja no Brasil propõe um aprofundamento sobre o tema da educação em uma Campanha da Fraternidade, embora, desta vez, a reflexão seja também impulsionada pelo Pacto Educativo Global, convocado pelo Papa Francisco. O objetivo geral da CF deste ano é promover diálogos a partir da realidade educativa do Brasil, à luz da fé cristã, propondo caminhos em favor do humanismo integral e solidário. Já os específicos são:

  • Analisar o contexto da educação na cultura atual, e seus desafios potencializados pela pandemia.
  • Verificar o impacto das políticas públicas na educação.
  • Identificar valores e referências da Palavra de Deus e da Tradição cristã em vista de uma educação humanizadora na perspectiva do Reino de Deus.
  • Pensar o papel da família, da comunidade de fé e da sociedade no processo educativo, com a colaboração dos educadores e das instituições de ensino.
  • Incentivar propostas educativas que, enraizadas no Evangelho, promovam a dignidade humana, a experiência do transcendente, a cultura do encontro e o cuidado com a casa comum.
  • Estimular a organização do serviço pastoral junto a escolas, universidades, centros comunitários e outros espaços educativos, em especial das instituições católicas de ensino.
  • Promover uma educação comprometida com novas formas de economia, de política e de progresso verdadeiramente a serviço da vida humana, em especial, dos mais pobres.


Antes da bênção, o Pe. Lício de Araújo Vale, que coordena a equipe diocesana da CF, agradeceu o empenho da Catedral na preparação da celebração e alertou que, em virtude da pandemia, não ocorrerão as tradicionais formações nas regiões episcopais, como nos anos anteriores. No entanto, destacou que, seguindo a sugestão do texto-base, a equipe se empenhará em formar uma Pastoral da Educação. Em seguida, o Pe. Rodrigo Floco, em nome do clero, também fez uma singela homenagem a Dom Manuel, pelo fato de, no último dia 2 de março, ter se comemorado 14 anos de sua chegada em nossa Diocese.