CANDIDATOS.DIACONATO
No último sábado, dia 12 de dezembro, na Paróquia do Divino Espírito Santo, do setor Cidade Líder, os candidatos ao diaconato permanente de nossa Diocese concluíram o ano formativo de 2020. O encerramento se deu com a celebração eucarística presidida pelo pároco e diretor da Escola Diaconal, Pe. Claudio Francisco de Oliveira, seguida de uma pequena confraternização, conforme, porém, todas as normas de distanciamento social exigidas.

O diaconato permanente

O diácono permanente é uma vocação da Igreja para o serviço da comunhão e, como tal, aos irmãos. Desde o Concílio Vaticano II, a Igreja latina restabeleceu o diaconato como grau próprio e permanente da hierarquia. Esse diaconato permanente - ensina-nos o Catecismo da Igreja Católica -, que pode ser conferido a homens casados, constitui um importante enriquecimento para a missão da Igreja. De fato, é útil e apropriado que aqueles que cumprem na Igreja um ministério verdadeiramente diaconal, quer na vida litúrgica e pastoral, quer nas obras sociais e caritativas, sejam corroborados e mais intimamente ligados ao altar pela imposição das mãos, tradição que nos vem desde os apóstolos (CIC 1572).

Em nossa Diocese, a Escola Diaconal tem como Diretor o Pe. Cláudio Francisco de Oliveira, da Paróquia do Divino Espírito Santo, setor Cidade Líder. Ajudam-no, na função de formadores, os padres Rodrigo Floco Porto, da Paróquia de Nossa Senhora Aparecida, setor Ponte Rasa; e Luis Fernando de Souza, da Paróquia de São Sebastião, setor A. E. Carvalho. Os candidatos, indicados pelos seus párocos, fazem o curso de Teologia em nosso Instituto e, às segundas-feiras, cursam também disciplinas próprias relacionadas ao futuro ministério que pretendem abraçar. Rezemos por estes nossos irmãos, por suas famílias e por seus formadores.