Pedro

 


Sim, esta é a vontade de meu Pai: 
que todo aquele que vê o Filho e nele crê,
tenha a vida eterna;
e Eu o ressuscitarei no último dia”
(Jo 6,40).

 

Impossibilitado de estar presente na celebração eucarística pelo sufrágio de nosso irmão Pedro Yamaguchi Ferreira, venho trazer meu abraço de solidariedade aos seus pais, Paulo e Alice, a seus irmãos e demais familiares e amigos.

Nós que temos fé não dizemos adeus porque a separação não é definitiva, mas até breve, pois, todos caminhamos para a Casa do Pai e acreditamos na Comunhão dos Santos: em Deus estamos unidos. Em Deus, o Pedro está vivo, da vida verdadeira que não terá fim. “Quer vivamos, quer morramos, pertencemos ao Senhor. Cristo morreu e ressuscitou para ser o Senhor dos mortos e dos vivos”, afirma o apóstolo Paulo. (Rm 14,8-9).

Apesar da saudade e da dor da separação, vamos unir nossas vozes louvando e agradecendo a Deus pela vida do Pedro que, em seus 27 anos entre nós, nos deixou tantas lições de solidariedade, de amor e de sonhos de um mundo conforme o projeto de Jesus Cristo. Para que esse Reino se concretizasse ele deu sua parcela de contribuição e entregou sua vida.

Peço licença para lembrar a mensagem - testamento que o Pedro nos legou na entrevista que deu quando de sua partida como missionário leigo para a Amazônia: “Desejo a todos que possam sonhar e realizar um mundo mais justo e solidário, um País de todos, que distribua sua riqueza, que garanta os direitos a todos os seus cidadãos, que respeite as diferenças.

Que cada pessoa, mesmo não partindo para outro lugar em missão, possa em seu meio social doar mais tempo de sua vida e de seu potencial a ajudar outras menos favorecidas”.

Com a esperança e o desejo de que seu exemplo suscite outros jovens a seguir seu exemplo, deixo a todos minha bênção como penhor das graças de Deus.

Dom Manuel Parrado Carral
Bispo Diocesno de São Miguel Paulista